“Anita Gerosa” será 11º Hospital Amigo da Criança no Pará

O Hospital Anita Gerosa, em Ananindeua, foi aprovado como Hospital Amigo da Criança e será o 11º hospital a receber o título no Pará. A entrega da placa ocorrerá no início de março. O processo de credenciamento junto ao Ministério da Saúde (MS) começou quando o médico Helio Franco, hoje secretário de Saúde, era presidente da Santa Casa. O primeiro treinamento foi realizado pela nutricionista Eunice Begot, hoje integrante do Colegiado de Gestão da Sespa.
O título é normatizado pelo MS, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e Organização Mundial de Saúde (OMS) e é concedido aos hospitais que cumprem os Dez Passos para o sucesso da amamentação. A última etapa da avaliação foi feita, nos dias 9 e 10 de fevereiro, pela médica pediatra Sônia Salviano, que é avaliadora do MS para a Iniciativa Hospital Amigo da Criança no início de fevereiro. Esse trabalho teve apoio da Coordenação Estadual de Saúde da Criança da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), na pessoa da enfermeira Maria Selma Alves da Silva.
Sônia foi recebida pelo secretário de Saúde, Helio Franco, acompanhado por Eunice Begot, pela diretora técnica da Sespa, Dione Cunha, e pela assessora Rosângela Monteiro.
Veja abaixo os Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno:
1) Ter normas e rotinas de incentivo ao aleitamento materno, expostas em quadros e cartazes para que todos possam conhecê-las;
2) Capacitar toda a sua equipe para apoiar e ajudar as mulheres em todas as fases da amamentação;
3) Orientar, durante o acompanhamento pré-natal, sobre as vantagens da amamentação, a importância de o bebê mamar logo ao nascer, a prevenção de dificuldades, além de outros assuntos que vão ajudar a futura mãe a ter uma amamentação mais duradoura e prazerosa;
4) Estimular o início da amamentação na primeira hora de vida e o contato prolongado pele a pele entre a mãe e o bebê, desde o nascimento;
5) Mostrar às mães como amamentar e manter a amamentação, mesmo quando houver necessidade de a mãe e o bebê ficarem separados;
6) Oferecer aos recém-nascidos apenas o leite materno, garantindo que outros leites e líquidos só sejam oferecidos em situações excepcionais, por indicação médica;
7) Garantir que mães e bebês permaneçam em alojamento conjunto vinte e quatro horas por dia;
8) Orientar que os bebês sejam amamentados sempre que quiserem, e o quanto quiserem;
9) Não oferecer chupetas, chucas ou mamadeiras aos bebês;
10) Promover a formação de grupos de apoio à amamentação e encaminhar as mães a esses grupos na alta da maternidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *