Publicado em

Coordenadora da Rádio Margarida participa de capacitação em Manaus

MANAUS04A coordenadora de projetos da Rádio Margarida, Eugenia Melo, participa, em Manaus, da capacitação “Vozes pela prevenção – câncer do colo do útero”. O evento é uma realização do Instituto Nacional do Câncer (INCA) e da ONG Criar Brasil, que há 20 anos atua pela democratização da comunicação e pelo fortalecimento das emissoras cidadãs.

O objetivo da capacitação é trabalhar com a temática do câncer do colo do útero que é um assunto de saúde de interesse da população feminina e de toda comunidade. A capacitação é direcionada a comunicadores de populações indígenas e quilombolas, além e instituições da Região Norte para sensibilização desta temática. De acordo com o INCA, na Região Norte a taxa de incidência do câncer do colo do útero é de 24 por 100 mil mulheres, que está acima da média do Nordeste que é de 19 e do Sudeste que é de 10 mulheres para cada 100 mil.

Segundo a coordenadora, um dos momentos emocionantes da capacitação foi a troca de experiência das etnias Ticuna, Xavante e Kokama, que relataram suas atividades com programas de rádio. “Foi emocionante o depoimento de uma jovem radialista que relatou que sua mãe faleceu de câncer do colo do útero, pois se recusava a fazer o exame Papanicolau e que sua irmã também teve câncer do colo do útero, porém fez o exame a tempo de procurar atendimento médico”, conta Eugenia.

Participam da capacitação a rádio Solimões de Tabatinga, rádio Rural de Santarém, rádio FM Mamirauá, rádio Nossa Tribo, Rádio Tocantins, rádio Formoso, rádio Comunidade Novo Tempo de Macapá, Rádio Voz Ilha de Tefé, Rádio educadora Guajará Mirim, Rádio VOX de Manaus, Rádio Boa Vista povo indígena FM de Monte Roraima, dentre outras. A capacitação conta ainda com a participação da Drª Maria Assuncion Solé, técnica da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Redes do INCA.

A ONG Rádio Margarida participa como convidada para a troca de experiências pelo programa “Estação Direitos” que fez parte das ações do projeto Radionovelas Educativas. Durante a capacitação a Rádio Margarida distribuiu materiais educativos do kit de Radionovelas Educativas e DVDs de clipes animados para os 27 participantes do evento. A capacitação encerra nesta sexta-feira, 26.

Waldeir Paiva – Rádio Margarida

Publicado em

Solenidade marca a abertura da Semana Mundial de Aleitamento Materno no Pará

ALEITAMENTOCom o tema “Aleitamento materno no Pará: uma vitória para toda a vida”, foi lançada nesta quarta-feira (6), a nível estadual, a 23ª Semana Mundial de Aleitamento Materno no Pará, em cerimônia que reuniu cerca de 200 pessoas no auditório Albano Franco, da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), em Belém. O evento foi resultado de uma articulação entre órgãos públicos e entidades de promoção à saúde feminina, com o objetivo de conscientizar o público sobre os benefícios clássicos da amamentação, incluindo o principal, que é o combate à mortalidade infantil.

Trabalhado em todo o mundo, o tema desse ano reflete os planos para atingir os oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) em 2015, que se relacionam com o aleitamento materno, conforme ainda as recomendações do Comitê Científico sobre a Nutrição da Organização das Nações Unidas (ONU): acabar com a fome e a miséria; atingir o ensino básico universal; promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde materna; combater o HIV/Aids e outras doenças; garantir a sustentabilidade ambiental e estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.

Sob um olhar mais regional, a campanha visa incentivar as mães a iniciar e manter a amamentação, bem como conscientizar sobre a importância dos Grupos de Mães (ou do Aconselhamento em Amamentação) e a participação mais efetiva comunitária junto às Unidades Básicas de Saúde. O senso comum enxerga o hábito como um gesto de afeição, mas a amamentação traz consigo alguns desafios atemporais, sobretudo quando há o problema da pouca produção de leite ou quando o bebê tem dificuldades para mamar.

Por esses e outros motivos é que eventos como esses são realizadas ano após ano, com o objetivo de lembrar aos profissionais de saúde sobre a importância do convencimento pela amamentação, conforme explica o secretário de Estado de Saúde, Helio Franco. “O leite materno é o único que, além de alimentar, possui anticorpos que protegem os recém-nascidos internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O que se vê muito hoje são crianças com alergia e, no aleitamento, se previne muito isso, como diarréia, infecções de ouvido e pneumonia”, afirmou.

Coordenadora estadual de Saúde da Criança, Ana Cristina Guzzo, enumera outras vantagens e benefícios da amamentação para a mulher e para o bebê, mas também chamou a atenção para a necessidade de criação de mais salas de amamentação por parte das empresas públicas e privadas, para favorecer mães cujos bebês ainda precisam ser alimentados com leite do peito após o período de licença-maternidade, que é de seis meses.

Segundo ela, amamentar é essencial, já que a mãe consegue transferir, por meio dos anticorpos, a segurança que a criança precisa nos primeiros anos de vida por meio de nutrientes essenciais que favorecerão o ganho de peso na forma ideal e garantirão benefícios ao sistema neurológico, inclusive atuando, de forma favorável, sobre as emoções da criança.

Durante a cerimônia na Fiepa, estiveram envolvidos representantes do governo estadual, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), Fundação Santa Casa de Misericórdia e Corpo de Bombeiros; a prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma); Federação das Indústrias do Pará (Fiepa); Universidade Federal do Pará (UFPA) e Pastoral da Criança.

De forma paralela, a Semana Mundial de Aleitamento Materno conta com uma programação na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, que está sendo realizada desde o dia 4 e que vai durar até esta quinta-feira, 7, quando os servidores do projeto Bombeiros da Vida, que realizam a coleta externa de leite materno, farão a sensibilização por meio de uma visita nas casas das doadoras.

Texto- Ascom Santa Casa

Publicado em

ORVAM lança a campanha “Doe seu cabelo como um gesto de amor”

A Organização dos Ribeirinhos Vítimas de Acidentes de Motor (ORVAM) realiza neste domingo (5), na Praça da República, a campanha “Doe seu cabelo como um gesto de amor”, de 8h as 12h. A campanha aproveita o último domingo de Arraial do Pavulagem na cidade, tem como objetivo mostrar ao público em geral as atividades da ORVAM, receber cabelos doados para a confecção de perucas e esclarecer o que é feito com essas doações.

Para maior comodidade, cabeleireiros auxiliarão no corte de cabelo de pessoas dispostas a doá-los para a ORVAM. Durante o evento, ainda serão vendidos materiais exclusivos, como camisetas e cuias pintadas artesanalmente pelas integrantes da ONG.

Segundo Maria Cristina Santos, presidente da ORVAM, este é um momento de difundir a importância do apoio da sociedade paraense na luta pela erradicação do escalpelamento no estado.

A ORVAM foi fundada em 20 de janeiro de 2011 e auxilia no apoio das vítimas com campanhas de arrecadação de cabelos para a produção de perucas e cursos de capacitação para as integrantes.

Fonte: ORVAM

Publicado em

Tuberculose afeta um milhão de crianças por ano

Quase um milhão de menores de 15 anos desenvolvem tuberculose a cada ano no mundo, duas vezes mais do que se pensava até agora, segundo um estudo publicado pela revista médica britânica “The Lancet”, por ocasião do Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose.

Cientistas americanos calculam que pelo menos 999.800 meninos e meninas são afetados a cada ano pela tuberculose.

Deles, 32 mil desenvolvem uma tuberculose multirresistente (TB-MR) aos medicamentos.

“Nossas estimativas são duas vezes maiores que as da da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2011 e três vezes a mais que o número de casos notificados entre crianças a cada ano”, disse Ted Cohen, um dos coautores do documento, professor na Harvard School of Public Health de Boston.

Segundo os dados mais recentes da OMS, 530 mil menores de idade contraíram tuberculose em 2012.

Esta é a primeira vez que os especialistas avaliam o número de casos de tuberculose multirresistente (TB-MR) em menores de 15 anos, que representam 25% da população mundial.

A TB-MR é uma forma de tuberculose provocada por um bacilo que resiste à Isoniaziada e à Rifampicina, os dois medicamentes mais eficazes para combater a doença pulmonar.

arte-tuberculose

Segundo o estudo, a Ásia meridional e oriental é a região mais afetada pelo fenômeno, com 400 mil casos a cada ano, sendo 10 mil de TB-MR, à frente da África (280 mil casos anuais, sendo 4,7 mil de TB-MR).

Os cientistas destacam a necessidade de melhorar os métodos de diagnóstico nas crianças e, em particular, nos menores de cinco anos que correm mais riscos de desenvolver formas severas de tuberculose.

De acordo com a OMS, 450 mil pessoas desenvolveram TB-MR no mundo e 170 mil morreram em 2012, mas apenas 20% receberam tratamento adequado, o que favorece a propagação da doença.

Fonte: G1

Publicado em

Semana do Bebê em Belém incentiva cuidados na Primeira Infância

aberturadasemanadobebePalestras, ações educativas e atividades culturais fazem parte da programação da II Semana Estadual do Bebê, que tem início nesta segunda-feira (18) e segue até o dia 22, simultaneamente em cinco municípios paraenses: Belém, Marabá, Santarém, Soure e Altamira. Na capital o evento conta com vasta programação que se estende também aos distritos de Icoaraci, Mosqueiro e Outeiro, além das ilhas.

A abertura do evento será no Complexo Ver-o-Rio, às 8h, com a certificação de 35 conselheiros tutelares de Belém em virtude do Dia Nacional do Conselho Tutelar; apresentações culturais e atividades do Brinca Belém. Já às 10h, o prefeito Zenaldo Coutinho fará a entrega da Chave da Cidade ao Prefeito Bebê, na Santa Casa.

Quem participar do evento, poderá conhecer mais sobre os cuidados necessários com crianças entre 0 a 6 anos, através do seminário ‘Primeira Infância – Cuidado, Proteção e Compromisso’, além do ciclo de palestras e ações educativas. Entre as atividades propostas também estão as oficinas de cantigas de ninar, contação de histórias, palestras e exibição de filmes.

A Semana Estadual do Bebê teve início em 2003, na cidade de Canela, RS. O Unicef, idealizador do projeto, foi representado pelo oficial especialista em programas de saúde, Antônio Carlos Cabral, que enfatizou a importância da iniciativa. ‘A primeira infância que vai de 0 a 6 anos é uma fase fundamental para o desenvolvimento e crescimento da criança, se ela for orientada desde cedo com certeza se tornará um bom cidadão’, disse.

A primeira edição do evento no Estado do Pará foi realizada em 2012, no município de Acará. Este ano, a Prefeitura de Belém está a frente da organização e conta com a parceria do Governo do Estado. Representantes das secretarias municipais juntamente com o Propaz e o Unicef se reúnem desde outubro para discutir e planejar a II Semana Nacional do Bebê no município.

Várias secretarias municipais estão envolvidas na ação. A Fundação João Paulo XXIII (Funpapa), por exemplo, preparou programação especial que será desenvolvida nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Centros de Referencia Especializada de Assistência Social (Creas), Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente (Comdac).

Texto: Portal ORM

Foto: Agência Pará

Publicado em

Poluição aumenta risco de bebês nascerem abaixo do peso

noticia_ogloboMulheres grávidas expostas à poluição têm mais chances de dar à luz bebês abaixo do peso normal, mostrou um estudo publicado na “The Lancet Respiratory Medicine”. O baixo peso ao nascer – menos do que 2,5 kg – aumenta o risco de mortalidade e doenças infantis, e tem sido associado a problemas durante a vida, incluindo diabetes e doenças cardiovasculares.

O estudo prestou especial atenção ao material particulado fino, invisíveis ao olho humano. Estas partículas microscópicas (um trigésimo da espessura de um fio de cabelo, que varia entre 15 e 180 micrômetros) são despejadas na atmosfera por várias fontes, incluindo os poluentes de automóveis e de indústrias, e têm sido associadas a doenças cardíacas e pulmonares, câncer e morte prematura.

Os pesquisadores estimam que para cada aumento de cinco microgramas por metro cúbico de exposição a estas partículas durante a gravidez, o risco de baixo peso ao nascer aumenta em 18%. Eles dizem que se os níveis de PM 2.5 fossem reduzidos a 10 microgramas por metro cúbico ao ano, mais de 22% dos casos poderiam ser evitados.

O limite anual de qualidade do ar da União Europeia é de 25 microgramas por metro cúbico. No Brasil este limite é o dobro: 50 microgramas/metro cúbico, de acordo com o Padrão Nacional de Qualidade do Ar. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda 10 microgramas por metro cúbico.

– Nossa descoberta sugere que boa parte dos nascimentos abaixo do peso poderia ser evitada se a poluição urbana do ar, principalmente de material particulado fino, fosse reduzida – afirmou a autora principal Marie Pedersen, do Centro de Pesquisa em Epidemiologia Ambiental, de Barcelona, na Espanha.

Ela acrescenta que em alguns países a poluição do ar representa o mesmo risco que o fumo durante a gravidez para a saúde do bebê.

O estudo coletou dados de uma dezena de países europeus e envolveu mais de 74 mil mulheres, que deram à luz entre 1994 e 2011.

Fonte: O Globo