Mais que direitos: 10 sites para entender que é dever de todos defendê-los

Mais que uma data para celebrar, o Dia dos Direitos Humanos é um momento para refletir, debater e fazer algo pela garantia desses direitos. Tendo isso em vista, listamos 10 sites de instituições e organizações que atuam da defesa e promoção dos direitos humanos, em diferentes frentes. Existem inúmeras formas de participar desta pauta, seja tornando-se um voluntário, contribuindo financeiramente, compartilhando as informações divulgadas ou até mesmo promovendo reflexões sobre os temas em rodas de debate. Confira:

 

1 – Human Rights Watch 

A Human Rights Watch (em livre tradução, “Observatório dos Direitos Humanos”) investiga e relata abusos acontecendo em todos os cantos do mundo. São especialistas nacionais, advogados, jornalistas e outros profissionais que trabalham para proteger os que estão em maior risco, desde minorias vulneráveis ​​e civis em tempo de guerra, até refugiados e crianças necessitadas (Fonte: HRW). Em seu site, eles possuem uma página que traz um resumo dos retrocessos em direitos humanos ocorridos em 2019.

 

2 – ONU Brasil

A Organização das Nações Unidas é uma organização internacional que passou a existir oficialmente a partir de 1945, após o término da 2ª Guerra Mundial. Seu objetivo é manter a paz e a segurança mundial, discutir e tomar medidas relacionadas aos direitos humanos, mudanças climáticas, saúde, dentre outros. A entidade é responsável, por exemplo, pela criação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil; pelo Unicef, que promove os direitos e o bem-estar de crianças e adolescentes; e pela ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados, que tem como missão proteger os refugiados e promover soluções duradouras para seus problemas. (Fonte: ONU Brasil).

 

3 – Plataforma RPU Brasil

O Coletivo RPU Brasil, coalizão composta por 30 entidades da sociedade civil brasileira, desde sua criação, em 2018, tem realizado o monitoramento dos direitos humanos no país através do mecanismo da Revisão Periódica Universal (RPU) das Nações Unidas. A Revisão Periódica Universal é um mecanismo de avaliação da situação dos direitos humanos nos 193 Estados membros da ONU. Recentemente, o coletivo publicou o Relatório da sociedade civil: Revisão Periódica Universal dos Direitos Humanos no Contexto da Covid-19. (Fonte: RPU).

 

4 – Artigo 19

ARTIGO 19 é uma organização não-governamental de direitos humanos que atua na defesa e promoção do direito à liberdade de expressão e de acesso à informação em todo o mundo. Seu nome tem origem no 19º artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU. No Brasil, ajuda a impulsionar diferentes pautas relacionadas à liberdade de expressão e informação, tais como o combate às violações ao direito de protesto, a elaboração e a implementação da Lei de Acesso à Informação, e a construção e defesa do Marco Civil da Internet. (Fonte: Artigo 19).

 

5 – Conectas

Organização não governamental que também atua na defesa dos direitos humanos, a entidade surgiu em 2001 como um esforço coletivo de profissionais, acadêmicos e ativistas. Fundada e sediada no Brasil, tem como missão efetivar e ampliar o acesso aos direitos humanos a nível internacional, mas a partir de uma perspectiva do Sul Global. (Fonte: Conectas).

 

6 – FNPETI

O Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil é uma estratégia da sociedade brasileira de articulação e aglutinação de atores sociais institucionais, envolvidos com políticas e programas de prevenção e erradicação do trabalho infantil no Brasil. Foi criado em 1994, com o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). (Fonte: FNPETI)

 

7 – Geledés 

GELEDÉS Instituto da Mulher Negra é uma organização da sociedade civil que atua na defesa de mulheres e negros. Suas áreas prioritárias da ação política e social são a questão racial, as questões de gênero, as implicações desses temas com os direitos humanos, a educação, a saúde, a comunicação, o mercado de trabalho, a pesquisa acadêmica e as políticas públicas. (Fonte: Geledés)

 

8 – Instituto de Desenvolvimento e Direitos Humanos

Organização não-governamental, sem fins lucrativos, que busca ampliar o número de educadores e defensores de direitos humanos. O IDDH possui status consultivo junto à ONU e é membro do Grupo de trabalho de ONGs para a Educação em Direitos Humanos das Nações Unidas. Uma de suas publicações mais recentes é o Manual de defesa contra a censura nas escolas, voltado para professores e educadores. (Fonte: IDDH)

 

9 – ABGLT 

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT) tem como missão promover ações que garantam a cidadania e os direitos humanos de LGBTI’s, no combate à discriminação, coerção e violência motivadas por orientação sexual e identidade de gênero. (Fonte: ABGLT)

 

10 – Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB 

A organização foi criada pelo movimento indígena no Acampamento Terra Livre de 2005. O ATL é uma mobilização anual nacional, que busca tornar visível a situação dos direitos indígenas e reivindicar do Estado Brasileiro o atendimento das suas demandas e reivindicações. A Apib reúne organizações regionais indígenas e nasceu com o propósito de fortalecer a união desses povos, a articulação entre as diferentes regiões e organizações indígenas do país, além de mobilizar os povos e organizações indígenas contra as ameaças e agressões aos direitos indígenas. (Fonte: APIB)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *