Ação de Círio da Rádio Margarida teve público estimado de 12 mil pessoas

Matéria: Frida Menezes

Nos dias 9, 10, 11 e 12 de Outubro deste ano, as ruas de Belém foram percorridas pelo “Margaridinha”, tradicional ônibus da ONG Rádio Margarida, que levou música, teatro e muita fé para a população paraense neste Círio fora do comum. O projeto “Ave Maria” teve o apoio do Governo do Pará, através da Secretaria de Turismo – Setur e da Secretaria de Cultura – Secult, com a proposta de levar arte e cultura para a população neste ano em que não houve procissões e comemorações comuns do mês de Outubro para o paraense. 

Ônibus passou em diversos pontos turísticos de Belém, entre eles a Estação das Docas.

O ônibus fez itinerários diferentes nos 4 dias, passando por pontos turísticos da cidade e avenidas, desde os bairros do centro até alguns mais afastados. Com atores representando personagens típicos da época do Círio, o projeto levou mensagens de fé através de uma Promesseira, um Turista, um Arcanjo e um Caboclo Ribeirinho a um público estimado em 12 mil pessoas nos quatro dias. 

Atores representam personagens típicos do Círio de Nazaré.

As reações do público foram de grande emoção. Muitas pessoas, por conta da pandemia, não puderam sair de casa, mas tiveram a oportunidade de ver a passagem da imagem de Nossa Senhora de Nazaré nas portas das suas casas. No trajeto do Margaridinha, era possível ver muitas mãos erguidas em direção à berlinda no topo do ônibus e pessoas fazendo fotos e vídeos da passagem. Helen foi uma dessas pessoas que relatou sentir muita emoção ao ver a passagem. “A gente sente essa carência, essa falta do Círio tradicional que a gente sempre teve. Então vivê-lo dessa maneira emociona muito. De qualquer forma é lindo, é lindo porque Nossa Senhora sente o amor que nós sentimos por ela”, comenta.

Helen estava na frente da Igreja da Sé ao ver a passagem do Margaridinha.
Público acompanha e tira fotos da passagem do Margaridinha na rua.

A atriz Cleice Maciel participou e conta sobre o impacto do projeto na sua visão. “Ações como essa neste momento pandêmico são imprescindíveis para levar afago, é como um abraço de conforto no coração das pessoas que diante das medidas de isolamento social encontram-se doentes, deprimidas, descrentes ou solitárias. Conduzir a imagem da Santa no Margaridinha foi surpreendente, e levar às periferias da cidade foi de uma solidariedade e sensibilidade imensurável”, comenta a atriz. 

Atriz Cleice Maciel interpreta a Promesseira e ator Adelson Gonzaga interpreta o Cabloco Ribeirinho.
Personagens no interior do ônibus.

Adelson Gonzaga também participou como ator e se sentiu pessoalmente realizado, o que mostra que o projeto atingiu todos os envolvidos. “Há 5 anos que eu vou na Trasladação, este ano não teve e não pude ir, mas de uma certa maneira eu externei essa minha energia para que eu estivesse ali fazendo minha homenagem e pagando minha promessa, que digo que não é promessa, é um prazer”. 

Passagem do ônibus Margarida ao lado da Basílica de Nazaré.
Margaridinha passou ainda em pontos como Ver-o-Peso (foto), Porto Futuro, Praça Batista Campos e Portal da Amazônia.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *