Pipas no céu: brincadeira exige velhos e novos cuidados

O aumento do calor já anuncia: o verão amazônico chegou. E uma das brincadeiras tradicionais desse período é soltar pipas. Neste ano, com a suspensão das aulas devido à pandemia da Covid-19, muitas crianças e adolescentes já estão se divertindo pelas ruas das periferias das cidades. Mas além dos cuidados que já eram necessários, é importante lembrar que ainda estamos num contexto que exige isolamento social. Por isso fizemos uma lista de situações que oferecem risco durante a brincadeira e que devem ser evitadas:

1 – Reunir com amigos e vizinhos para soltar pipas
Reunir a turma é bem mais divertido, com certeza. Mas não podemos esquecer que ainda estamos numa pandemia, portanto é necessário manter o isolamento e brincar de pipa somente se tiver como fazer isso só com as pessoas de casa. Como nas cidades isso é cada vez mais difícil, o ideal é aguardar o fim da quarentena para poder brincar.

2 – Soltar pipas próximo às redes elétricas
Se uma pipa cai e enrosca numa fiação elétrica, além do risco de suspensão na energia no local, ainda tem o perigo da criança tomar um choque ou até mesmo ser eletrocutada. No Pará, segundo a concessionária de energia Equatorial, desde o início do ano já foram contabilizados 1.216 casos de interrupções no fornecimento de energia elétrica ocasionados por pipas que enroscam na rede. Por isso o recomendado é brincar em locais abertos, longe dos postes e fiações elétricas.

 

3 – Pipa com rabiola enrosca no fio com mais facilidade
Ensine as crianças e jovens que dá para soltar pipa sem rabiola, pois o risco é menor. Mas se não for possível e a pipa ficar presa a um fio, é melhor deixá-la, pois quem tentar tirar poderá ser eletrocutado.

4 – Uso de papel laminado
O uso desse material na fabricação de pipas é arriscado, pois se tocar nos fios elétricos causará curto-circuito.

5 – Nunca usar linhas metálicas no lugar de linhas comuns
As linhas metálicas causam choques.

Criança solta pipa em arena. A recomendação é brincar somente em locais abertos como esse, sem rede elétrica (e é sempre bom lembrar: sem aglomeração, enquanto durar a pandemia).

6 – Cerol e outros produtos cortantes
Nunca permita que crianças e adolescentes usem linha com cerol ou a chamada linha chilena, porque podem provocar ferimentos graves e até matar. Um ciclista ou motociclista, ao passar em alta velocidade numa rua na qual esteja um fio de pipa cortante, pode ser cortado pelo material ou sofrer um acidente. Em Belém, lembramos que a utilização desses produtos é proibida por lei.

7 – Brincar em ruas com movimento de carros e motos
Sabemos que as crianças, na empolgação da brincadeira, muitas vezes correm e esquecem de olhar para os lados. O risco de atropelamento é muito grande quando a brincadeira acontece em ruas com movimento de carros e motos. Mais uma vez, lembramos: o recomendado é brincar em locais abertos, como campos e orlas.

8 – Não soltar pipas caso ameace chover
Em caso de chuva e relâmpagos, o melhor é recolher a pipa, pois ela funciona como para-raios.

Festival de Pipas em Afuá-PA, no ano de 2013, com diversas crianças e jovens. Reuniões como essa precisam ser evitadas enquanto durar a pandemia do novo coronavírus.

9 – Não soltar pipas em locais altos como lajes de casa
Ficar em lajes de casa é muito arriscado, porque em qualquer distração a criança ou adolescente pode sofrer uma queda.

10 – Usar luvas ou outro tipo de proteção nas mãos
Em dias de vento forte, o cuidado precisa ser maior, porque a linha pode cortar a mão, mesmo que seja do tipo comum. Uma atitude simples como enrolar um pedaço de tecido nas mãos já evita esse perigo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *