Carnaval: cuidados com crianças e adolescentes

Matéria: Camila Leal
Edição: Élida Cristo Miranda

O Carnaval é uma das maiores festas populares do país, com opções de folia em espaços abertos (nos blocos de rua, por exemplo) e espaços fechados (como nos bailes). Embora existam possibilidades de diversão para crianças e adolescentes, é preciso estar atento aos cuidados necessários para garantir os seus direitos.

Alimentação
Os festejos de carnaval costumam durar algumas horas, por isso antes de sair é importante dar uma refeição bem completa e nutritiva para crianças e adolescentes. Além disso, é importante comprar água ou levar uma garrafinha de casa para mantê-las hidratadas. Para levar na bolsa, frutas como banana, uva e biscoitos simples e sem recheio são uma boa opção. Em uma cartilha feita pela Prefeitura de Curitiba, são disponibilizados cardápios balanceados para cada faixa etária (confira aqui).

Fonte: Cartilha Alimentação Infantil (Prefeitura de Curitiba).

 

Evite aglomerações
Nem todos os ambientes são indicados para levar crianças. Por isso, preste atenção na hora da escolha: evite locais com multidões, pois o risco de uma criança ou adolescente se perder é muito grande. Além disso, uma festa com muitos adultos e bebida alcoólica aumenta os riscos de uma criança cair e ser pisoteada. Expor crianças a situações de risco pode inclusive acarretar punições por parte da Justiça.

Clima
Estamos em pleno inverso amazônico, essa estação que só existe na nossa região e que mistura o clima úmido, muita chuva e alguns momentos de sol forte. É importante manter crianças e adolescentes sempre bem hidratados, usar protetor solar (mesmo em dias chuvosos) e verificar sempre se terá um local para proteger as crianças em caso de chuva.

Fantasias
Fique atento também na hora da escolha da fantasia das crianças: opte por aquelas que sejam leves e não ofereçam perigos, acessórios que possam ser cortantes ou perfurantes. Evite também fantasias ofensivas como de indígenas, “nega maluca”, empregadas domésticas ou gari, cigana e outras que ofendam culturas e religiosidades. É importante lembrar que antes da diversão vem o respeito.

Opte sempre por fantasias confortáveis e seguras para as crianças.

Segurança
Infelizmente, em muitos lugares (ou mesmo no deslocamento para certos locais) estamos sujeitos à violência urbana. Mas em determinados ambientes e horários, as crianças e adolescentes podem estar mais expostos a situações de violência: noite e madrugada, em bares, nas ruas e demais locais onde aconteça consumo de álcool e drogas, por exemplo. Por isso, também é necessário avaliar a segurança do local antes de levar crianças e adolescentes.

Identificação
Devido ao grande fluxo de pessoas em determinados locais, é muito fácil perder sua criança de vista. Por precaução, dependendo da idade de seu(sua) filho(a), combine um ponto de encontro. Também recomende para não irem para outros locais com estranhos, nem aceitar nada que lhe deem. Faça também cartões (ou pulseiras) de identificação com o seu contato, para que a criança peça ajuda e consiga entrar em contato com você.

Bebidas alcoólicas
 Segundo o artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente, vender, fornecer, ou servir bebida alcoólica, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica pode levar à pena de detenção de dois a quatro anos e multa. Portanto, criança e adolescente não podem beber e nem usar nenhuma outra droga, mesmo que acompanhados dos pais.

Papo consciente sobre sexo com os adolescentes
A adolescência é um momento em que os hormônios estão à flor da pele, e o carnaval pode ser muito excitante e divertido. Por isso, é importante falar sobre os problemas que o ato sexual sem proteção podem causar: desde doenças sexualmente transmissíveis até uma possível gravidez. Não deixe de conversar com os adolescentes de casa sobre os cuidados com a sexualidade, que envolve desde o uso da camisinha até o respeito com o corpo, a intimidade e a sexualidade das outras pessoas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *