Dia do Livro: indicações que podem ajudar a estimular o hábito da leitura

Matéria: Camila Leal
Edição: Élida Cristo Miranda

“A leitura não substitui a vida, mas constitui um meio de vivê-la com mais amenidade e inteligência” (LITTON, 1975, p. 35)

Segundo Cássia Rodrigues, bibliotecária, o hábito da leitura melhora os atos de se comunicar, de se expressar e de argumentar. E para além disso, trata-se de uma prática social capaz de resgatar a cidadania e a dignidade levando a sociedade a melhores condições de vida. No Dia Nacional do Livro, listamos algumas bibliotecas gratuitas na Região Metropolitana de Belém, como uma forma de incentivar essa prática entre crianças e adolescentes. Também trouxemos algumas indicações de livros voltadas para o público infanto-juvenil. Confira:

Incentivo da família à leitura

Cássia Rodrigues é formada em Biblioteconomia pela UFPA. Em seu trabalho de conclusão de curso, intitulado “A influência da família no hábito da leitura”, ela defende o hábito da leitura entre os jovens incentivado pela família. Para ela, um indivíduo que nasce numa atmosfera em que presencia os responsáveis lendo um livro observará que o objeto prende a atenção dos pais por minutos ou horas e entenderá que é uma coisa boa, já que na infância nossas referências se baseiam no que os pais fazem.

Para incentivar o hábito da leitura, os responsáveis podem dar livros de presente e ler junto com seus filhos, incentivar que a criança e o adolescente vá à biblioteca da escola, que procure ler online também em plataformas que disponibilizam e-books. Abaixo, listamos algumas indicações de leituras voltadas para o público infanto-juvenil, que podem ser encontradas em livrarias e bibliotecas de Belém:

“Visagens e Assombrações de Belém” (de Walcyr Monteiro): é um livro com a compilação de contos fantásticos e de histórias sobrenaturais de visagens (fantasmas), como a Matinta Pereira e a Moça do Táxi, que povoam o imaginário amazônico e especialmente da região metropolitana de Belém, capital do Estado do Pará.

 

 

 

 

“Paca, Tatu; Cutia Não!” (de Juraci Siqueira): é uma obra formada por poemas para crianças sobre a fauna amazônica. Foi premiado no edital de Literatura infanto-juvenil da Secult em 2008. Ilustrado por Claudia Vinagre e Renata Segtowick, a obra apresenta uma espécie de “mínidicionário” com a apresentação de alguns animais amazônicos, entre eles o boto.

 

 

 

“A menina que roubava livros” (de Markus Susak): O livro conta a história de Liesel Meminger, cuja mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia ela e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai roubar ao longo dos anos. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A história se passa no período da 2ª Guerra Mundial e do nazismo.

 

 

 

“Malala, a menina que queria ir para a escola” (de Adriana Carranca): O livro conta a história real de Malala Yousafzai, que quase perdeu a vida por querer ir para a escola. Ela nasceu no vale do Swat, no Paquistão, cresceu entre os corredores da escola de seu pai, Ziauddin Yousafzai, e era uma das primeiras alunas da classe. Quando tinha dez anos viu sua cidade ser controlada por um grupo extremista chamado Talibã. Armados, eles vigiavam o vale noite e dia, e impuseram muitas regras. Proibiram a música e a dança, baniram as mulheres das ruas e determinaram que somente os meninos poderiam estudar. Mas Malala foi ensinada desde pequena a defender aquilo em que acreditava e lutou pelo direito de continuar estudando.

 

 

Bibliotecas paraenses oferecem acesso gratuito a leituras

Cássia Rodrigues explica que uma sociedade iletrada, como a brasileira, é decorrente da falta de políticas públicas para a educação, onde o governo investe somente na formação de analfabetos funcionais (pessoas que sabem ler e escrever, mas não possuem capacidade de interpretação), o tipo de educação que não gera mudanças significativas na vida dos jovens.

Outro fator que não ajuda o cenário brasileiro é o preço dos livros. Muitas pessoas argumentam não comprar livros porque custam caro. E, de fato, muitas obras não têm preço acessível nas livrarias. Mas uma opção nesses casos são as bibliotecas públicas ou comunitárias, e no Estado do Pará existem muitas. Abaixo listamos algumas dessas livrarias:

  • Biblioteca Arthur Viana – Na Fundação Cultural do Pará (FCP) você encontra a biblioteca pública Arthur Viana, com mais de 800 mil exemplares disponíveis em um espaço climatizado e silencioso, com livros que variam das obras infanto-juvenis a gibis, livros históricos, dentre outros. Além disso, possui uma Seção Infantil e Brinquedoteca com vários jogos.
    Endereço: Gentil Bittencourt, n° 650, Bairro Nazaré.
    Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h30 às 19h.
    Doação de livros: (91) 3202-4377
Imagem: Fundação Fundação Cultural do Estado do Pará
  • Biblioteca Vicente Salles – Faz parte do Sistema de Bibliotecas da FCP. Possui acervo principalmente artístico, mas está agora sendo ampliado com títulos coletados e originados de intercâmbios, doações e aquisições feitas pela própria FCP. Aberta ao público em geral, tem como objetivo catalogar, preservar e oferecer a estudantes, pesquisadores e demais interessados o acesso a publicações de artes, entre livros, catálogos de exposições, e muitos outros materiais. Os usuários têm livre acesso ao acervo para consulta, pesquisa e empréstimo, além de consulta on-line.
    Endereço: R. Dom Alberto Gaudêncio Ramos – Nazaré
    Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 9h às 15h.
    Telefone: (91) 3323-0391
Imagem: Fundação Fundação Cultural do Estado do Pará

 

A Rede Amazônia Literária, da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias, conta com algumas bibliotecas em Belém e Região Metropolitana, contemplando espaços em áreas de periferia, onde há ausência de ações governamentais e acesso a direitos, como a leitura. São elas:

  • Espaço Cultural Nossa Biblioteca – Uma das mais antigas bibliotecas comunitárias do país, tem como missão difundir a leitura através da democratização do livro e do conhecimento para autonomia e melhoria da qualidade de vida na Amazônia. A biblioteca é aberta à comunidade e contém acervo de livros infantis e infanto-juvenis. Além de outras atividades, busca formar mediadores de leitura e articular essas leituras com atividades artísticas como dança, teatro e música.
    Endereço: Trav. 25 de Junho, n° 214, bairro do Guamá.
    Funcionamento: Das 8h às 12h e 14h às 18h.
    Doações de livros: 3249-5270/ 981147766
    E-mail: ecnbiblioteca@gmail.com
    Facebook: @ecnbiblioteca
    Site: ecnb.blogspot.com.br
Imagem: Facebook Nossa Biblioteca
  • Biblioteca Comunitária Moara – Localizada em Águas Lindas, no município de Ananindeua, a biblioteca atende cerca de 80 pessoas mensalmente, moradores do entorno do antigo lixão do Aurá.
    Endereço: Alameda Moara, nº 3, Águas Lindas, Ananindeua.
    Telefone: (91) 99231-7734
    E-mail: bcmoaraliteraria@gmail.com
    Funcionamento: De segunda a quinta-feira, das 8h às 10h e das 15h às 17h.

 

  • Biblioteca Itinerante Bombomler – Por meio de um carrinho ambulante de bombom, promove, ao ar livre, a leitura, literatura, arte e cultura. Desde 2016 circula divulgando e socializando a leitura com contação de histórias. Possui a atividade “livro vivo”, onde apresenta o autor. Atende cerca de 50 crianças e jovens mensalmente.
    Endereço: Ponto de Apoio – Conjunto Médici I, Av. Maracanã, 126, Marambaia, Belém-PA.
    Telefone: (91) 98146-8521
    Facebook: @BomBomLerbibliotecaitinerante
Imagem: Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias
  • Biblioteca Comunitária Rio de Letras – Busca dar acesso ao direito à cultura literária, proporcionando um espaço humanizado sem distinção de raça, religião e gênero.
    Funcionamento: De segunda a sábado, das 8h às 18h.
    Endereço: Conjunto Satélite, We 4, nº 145, Coqueiro, Belém-PA.
    E-mail: bcriodeletras@gmail.com
    Facebook: Bc Rio de Letras
Imagem: Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias
  • Biblioteca Comunitária Carolina Maria de Jesus – Tem como princípios básicos a sustentabilidade, acessibilidade, o resgate do saber ancestral e a igualdade de gênero. Realiza em torno de 30 empréstimos mensais e seu público é predominantemente de crianças e jovens.
    Funcionamento: Das 9h às 11h e 15h às 18h.
    Endereço: Conjunto Maguari, Alameda 17, s/nº, Coqueiro, Belém-PA.
    Facebook: @bccarolinamaria
Imagem: Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias
  • Biblioteca Pública Municipal Avertano Rocha – Localizada no Distrito de Icoaraci, desenvolve atividades culturais de promoção de leitura, como oficinas, cursos, exposições e diversas atividades de estímulo à leitura a partir de projetos como Chalé Literário, Maré Literária e Conexão Leitura, com ações culturais integradas à comunidade.
    Endereço: R. Siqueira Mendes, 607-705 – Cruzeiro.
    Funcionamento: De segunda a sexta- feira, das 8h30 às 17h.
    Telefone: Público: (91) 3297-8141
    E-mail: bpmar2015@gmail.com

 

  • Biblioteca Pública Municipal Maria Lúcia Medeiros – Oferece serviços múltiplos, como os projetos que visam à inclusão social de acordo com os serviços oferecidos pela Biblioteca. Os serviços incluem empréstimos de livros, palestras e atividades de estímulo à leitura e de iniciativas relacionadas com artes, cultura e lazer, como teatro, oficinas de leitura, contação de histórias, exibição de filmes e quaisquer outras em consonância com as demandas da comunidade.
    Endereço: Tv. Cel. José Mota – Vila, Mosqueiro (Belém).
    Funcionamento: De segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
    Telefone: 3230-1443

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *