Entenda Mais Sobre Vacinação de Crianças e Adolescentes

O Dia Nacional da Vacinação, 17 de outubro, foi criado pelo Ministério da Saúde com objetivo de alertar a sociedade brasileira sobre a importância das vacinações que, se tomadas corretamente, evitam diversas doenças. A vacina é uma forma de imunizar o corpo. Ao receber a vacina, a pessoa começa a criar anticorpos contra a doença. Poliomielite, sarampo, rubéola, tétano e coqueluche são só alguns exemplos dessas doenças.  

Gibi incentiva vacinação de crianças 

Muitas crianças temem a vacinação por ter medo da agulhada. Na revistinha especial “Turma da Mônica: vacinação é um gesto de amor”, feita em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde, há duas histórias explicando a importância da vacinação infantil. A primeira conta a história da Maria Cebolinha, que sumiu de casa no dia da vacinação. A segunda mostra a recusa de Chico Bento em ir no posto se vacinar. Vale muito à pena mostrar o gibi para sua criança. 

Baixe a revistinha aqui  “Turma da Mônica – Vacinação é um Gesto de Amor”

 

Vacinas para crianças* 

  • BCG (Bacilo Calmette-Guerin) – previne as formas graves de tuberculose, principalmente miliar e meníngea. Dose única. 
  • Hepatite B – previne a hepatite B. Dose ao nascer.
  • Penta – previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções causadas pelo Haemophilus influenzae B. 
  • Febre Amarela – previne a febre amarela. Dose única.
  • Tríplice viral – previne sarampo, caxumba e rubéola.
  • Tetra viral – previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora. Dose única.

*Essas são apenas algumas das vacinas necessárias entre zero e 4 anos. Ao nascer e ao longo dos meses seguintes ao nascimento, a criança precisa de vários tipos de vacinação. Você pode conferir as vacinas e a lista completa no site do Ministério da Saúde, que indica quais e a quantidade de doses certas a tomar, além da idade correta de cada dose. 

 

Vacinas para adolescentes** 

  • HPV – previne o papiloma, vírus humano que causa cânceres e verrugas genitais. Duas doses (seis meses de intervalo entre as doses). Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. 
  • Dupla Adulto (dT) – previne difteria e tétano. Reforço a cada 10 anos.
  • Tríplice viral – previne sarampo, caxumba e rubéola. Duas doses (de acordo com a situação vacinal anterior).
  • Pneumocócica 23 Valente – previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo. Uma dose (a depender da situação vacinal anterior). Está indicada para população indígena e grupos-alvo específicos.

**Nesse período é necessário haver o reforço de algumas vacinas já tomadas e também ficar atentos àquelas que só podem ser tomadas na adolescência. A lista completa de vacinas e períodos você pode conferir no site do Ministério da Saúde. 

Mais informações sobre vacinas como quando tomar, para que serve, qual idade e quem deve tomar  você pode conferir aqui: “Cartilha de vacinas: para quem quer mesmo saber das coisas”. Produzido pela Organização Pan-América de Saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *