QUEIMADAS E DESMATAMENTO – É o assunto da aula de hoje!

Área de floresta no entorno de Porto Velho (RO).
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters (Fonte: oglobo.globo.com)

Por José Arnaud

As queimadas nas florestas brasileiras estão no centro dos debates atuais em virtude do aumento substancial de focos de queimadas nos estados do Centro-Oeste e no Norte do Brasil.

Esse debate estende-se para as salas de aula, tornando-se transversal para muitas disciplinas. Na verdade esse tema é obrigatório às escolas desde 1999, quando foi sancionada a Lei Nº 9.795, conhecida como Lei da Educação Ambiental. O Artigo 2º da lei diz que “A educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal”.

Contudo, é sempre um desafio aos educadores trazer temas transversais para a rotina da escola. A abordagem deve ser atraente aos alunos, fazendo com que estes reflitam sobre o passado e o presente, já de olho em um futuro próximo.

Foto: Reuters (Fonte: brasil.elpais.com)

Se você quer trabalhar essa temática em sua turma, um bom caminho pode ser a utilização da linguagem audiovisual.

Por isso, neste artigo a Rádio Margarida apresenta uma série de possibilidades de obras cinematográficas que funcionam como excelentes ferramentas para introduzir o assunto sobre queimadas e desmatamento.

Quer turbinar sua aula de educação ambiental? Vamos usar a arte como meio para educar? Então siga em frente e desfrute de nossas dicas pra lá de interessantes!

1 – Amazônia em Chamas (EUA, 1994, Direção: John Frankenheimer)

Para turmas de jovens e adultos, indicamos este filme baseado na história real do seringueiro brasileiro Chico Mendes, um dos maiores defensores da floresta amazônica e de seus povos. O roteiro revela nuances da batalha entre os poderosos que querem devastar parte da floresta tropical para abrir estradas e fazendas, e o povo que defende a floresta em pé e o extrativismo florestal sustentável. Elenco: Raul Julia, Sônia Braga, Edward James Olmos, Luiz Gúsman.

 

2 – WALL-E (EUA, 2008, Direção: Andrew Stanton)

Para as turminhas até o 5º ano esse é um filme bem legal de ver e rever. É a história de Wall-E e Eva, dois robôs que encontram-se em um planeta terra do futuro, tomado por entulho e lixo, e cheio de gazes tóxicos que impedem que os humanos vivam em solo. É uma história de amor e de esperança, que deixa várias mensagens importantes para nós humanos, principalmente a de que não podemos nos render à tecnologia e ao consumismo, pois estamos destruindo o planeta de forma irracional.

 

3 – Os sem Floresta (EUA, 2008, Direção: Tim Johnson, Karey Kirkpatrick)

Também voltado ao público infantil, esse filme de animação é uma grande aventura de um grupo de animais que perdem sua casa, a floresta. As crianças podem perceber, de forma divertida, o quão é impactante a ação destrutiva do homem sobre as florestas. O filme é uma crítica direta ao processo de urbanização.

 

4 – A lei da água (Brasil, 2015, Direção: André D’Elia)

Para o Ensino Médio, uma excelente opção é esse documentário de 2015, que aborda questões relacionadas as mudanças legais com o novo Código Florestal – aprovado em 2012. O filme tem como personagens agricultores e especialistas, que vão apresentando possibilidades técnicas para a agricultura de baixo impacto ambiental. Por meio do documentário os alunos possível podem perceber como as mudanças na legislação ambiental pode afetar a vida do povo brasileiro.

 

5- Avatar (EUA, 2009, Direção: James Cameron)

Falando em aprender se divertindo, indicamos esse filme de maior bilheteria do mundo. Uma aventura de ficção científica que acontece no planeta Pandora, que está sendo colonizado pelos humanos. No filme é mostrado, de forma lúdica, algo similar ao que foi feito com as florestas da terra e suas populações, que foram dizimadas em nome de um desenvolvimento econômico destruidor.

 

6 – A História depois do Fogo – (BRASIL, 2018)

Um documentário de curta duração que mostra a expedição de 12 cientistas ligados a fundações de pesquisa e universidades pelo Serrado de Goiás,  especificamente na Reserva Natural Serra do Tombador, em Cavalcante. Vemos os esforços dos pesquisadores para levantar dados científicos que ajudem a evitar incêndios florestais, bem como recuperar áreas já queimadas. No período do documentário teve um grande incêndio na reserva que atingiu 85% da área protegida.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *