Publicado em

Pro Paz e Vivo assinam parceria contra abuso e exploração sexual de meninos e meninas

Nesta quinta-feira, 16, Dia Estadual de Enfrentamento à Violência, Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o Pro Paz em parceria com a empresa telefônica Vivo assinaram um termo de cooperação para a realização da ação SMS Social. Por meio desta ação, serão enviados 200 mil torpedos com a frase “O Pará luta contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Denuncie este crime: Disque 100. Vivo e Pro Paz” para celulares, da operadora, com DDD 91.

Atualmente o Pro Paz é o principal serviço público estadual especializado no atendimento às crianças, adolescentes, mulheres e suas famílias em situação de violência no Pará. O serviço atua partir da atenção integral para a redução dos danos físicos e psíquicos causados pelos diversos tipos de agressão praticados contra crianças, adolescentes e suas famílias.

Além da Região Metropolitana de Belém, com os núcleos da Santa Casa e do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, há os Núcleos Regionais do Baixo Amazonas, da Zona Bragantina, da Região do Xingu, Região do Lago e Região Guajarina. Durante o evento desta quinta-feira, foram apresentados resultados das ações desenvolvidas pelo Pro Paz no Estado.

Estiveram presentes representantes de entidades governamentais que atuam em secretarias estaduais, como a de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), o presidente da Fundação Pro Paz Bittencourt, além do Ministério Público, por meio da Drª Mônica Freire, entidades de classes e Organizações Não Governamentais (ONGs). A ONG Rádio Margarida esteve representada pelos coordenadores de projetos Eugenia Melo e Osmar Pancera.

Destaque ainda para a participação de Cida Andrade, da Pastoral da Criança, ponto focal do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, assim como o ponto focal jovem, representado por Layane Silva. Layane ressaltou em seu discurso a importância de crianças e adolescentes serem ouvidos nestes espaços de debate.

Rádio Margarida com informações da Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *