Solenidade marca a abertura da Semana Mundial de Aleitamento Materno no Pará

Com o tema “Aleitamento materno no Pará: uma vitória para toda a vida”, foi lançada nesta quarta-feira (6), a nível estadual, a 23ª Semana Mundial de Aleitamento Materno no Pará, em cerimônia que reuniu cerca de 200 pessoas no auditório Albano Franco, da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), em Belém. O evento foi resultado de uma articulação entre órgãos públicos e entidades de promoção à saúde feminina, com o objetivo de conscientizar o público sobre os benefícios clássicos da amamentação, incluindo o principal, que é o combate à mortalidade infantil.

Trabalhado em todo o mundo, o tema desse ano reflete os planos para atingir os oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) em 2015, que se relacionam com o aleitamento materno, conforme ainda as recomendações do Comitê Científico sobre a Nutrição da Organização das Nações Unidas (ONU): acabar com a fome e a miséria; atingir o ensino básico universal; promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde materna; combater o HIV/Aids e outras doenças; garantir a sustentabilidade ambiental e estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento.

Sob um olhar mais regional, a campanha visa incentivar as mães a iniciar e manter a amamentação, bem como conscientizar sobre a importância dos Grupos de Mães (ou do Aconselhamento em Amamentação) e a participação mais efetiva comunitária junto às Unidades Básicas de Saúde. O senso comum enxerga o hábito como um gesto de afeição, mas a amamentação traz consigo alguns desafios atemporais, sobretudo quando há o problema da pouca produção de leite ou quando o bebê tem dificuldades para mamar.

Por esses e outros motivos é que eventos como esses são realizadas ano após ano, com o objetivo de lembrar aos profissionais de saúde sobre a importância do convencimento pela amamentação, conforme explica o secretário de Estado de Saúde, Helio Franco. “O leite materno é o único que, além de alimentar, possui anticorpos que protegem os recém-nascidos internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O que se vê muito hoje são crianças com alergia e, no aleitamento, se previne muito isso, como diarréia, infecções de ouvido e pneumonia”, afirmou.

Coordenadora estadual de Saúde da Criança, Ana Cristina Guzzo, enumera outras vantagens e benefícios da amamentação para a mulher e para o bebê, mas também chamou a atenção para a necessidade de criação de mais salas de amamentação por parte das empresas públicas e privadas, para favorecer mães cujos bebês ainda precisam ser alimentados com leite do peito após o período de licença-maternidade, que é de seis meses.

Segundo ela, amamentar é essencial, já que a mãe consegue transferir, por meio dos anticorpos, a segurança que a criança precisa nos primeiros anos de vida por meio de nutrientes essenciais que favorecerão o ganho de peso na forma ideal e garantirão benefícios ao sistema neurológico, inclusive atuando, de forma favorável, sobre as emoções da criança.

Durante a cerimônia na Fiepa, estiveram envolvidos representantes do governo estadual, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), Fundação Santa Casa de Misericórdia e Corpo de Bombeiros; a prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma); Federação das Indústrias do Pará (Fiepa); Universidade Federal do Pará (UFPA) e Pastoral da Criança.

De forma paralela, a Semana Mundial de Aleitamento Materno conta com uma programação na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, que está sendo realizada desde o dia 4 e que vai durar até esta quinta-feira, 7, quando os servidores do projeto Bombeiros da Vida, que realizam a coleta externa de leite materno, farão a sensibilização por meio de uma visita nas casas das doadoras.

Texto- Ascom Santa Casa

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *