Publicado em

Fasepa recebe projeto de promoção da cidadania de adolescentes em conflito com a lei

Com o objetivo de intensificar a promoção e defesa dos direitos de adolescentes e jovens que cumprem medida socioeducativa, a Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) recebe a partir da primeira quinzena de abril, ações do projeto “Reconstruindo a Liberdade: Promoção e defesa dos direitos de adolescentes e jovens que cumprem medidas socioeducativas”. As atividades serão desenvolvidas pela ONG Universidade Popular (Unipop), com o apoio das equipes técnicas de todas as unidades socioeducativas administradas pela Fundação, e visa atingir 270 adolescentes e suas famílias, além de 160 servidores da Fundação.

Os internos participarão de oficinas de letramento, habilidades artísticas e educação para cidadania a didática, e seus familiares receberam orientações de como acessar o Sistema de Garantia de Direitos e a rede socioassistencial. Com os servidores da Fundação será trabalhado o impacto do encarceramento na saúde do trabalhador e no desenvolvimento dos adolescentes e a construção de novas práticas pedagógicas no atendimento socioeducativo.

Para a coordenadora metropolitana de Atendimento Socioeducativo, Eronildes Pires, descreve que o projeto irá somar ao que já é desenvolvido com os adolescentes e servidores. “Este projeto vem somar naquilo que nós já fazemos no que diz respeito a qualificação profissional, no sentido de fortalecer a concepção pedagógica da medida” , destaca a Coordenadora, referindo-se ao combate a concepção do cárcere ainda presente na compreensão do que ´o atendimento socioeducativo.

As ações do projeto fazem parte do Programa de Promoção e Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes (Pró-DCA), que a UNIPOP executa desde 2010, atendendo meninos e meninas que cumprem medidas socioeducativas e adolescentes e jovens egressos do sistema socioeducativo. O Coordenador do Programa Pró DCA, Max Costa, fala da importância da sociedade civil trabalhar em conjunto com o governo pela socioeducação.

“Isso é importante porque a sociedade civil também deve dar uma contribuição para que esses adolescentes possam de fato cada vez mais ficarem distantes do caminho da drogadição, da exploração sexual e da violência. Então a gente vem desenvolver os processo de habilidades e competências desses adolescentes para que ao saírem desses espaços, possam ver e construir seus projetos de vida”, defende Max Costa.

O Projeto Reconstruindo a Liberdade é patrocinado pelo Programa Petrobrás Desenvolvimento e Cidadania será levado a todas as unidades socioeducativas da Região Metropolitana de Belém, Marabá e Santarém em um período de dois anos.

Fonte: Fasepa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *