Pro Paz reforça papel do professor no combate à violência infantil

O Pro Paz promoveu, na segunda-feira (27), no auditório do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (Ciic), um seminário de sensibilização dos professores como agentes de prevenção. A iniciativa objetivou mostrar a importância que o professor da rede pública estadual de ensino tem na prevenção e combate à violência sexual contra crianças e adolescentes. Representantes do Pro Paz, Fundo das Nações Unidas para a Infância e Juventude (Unicef) e Polícia Civil participaram do encontro.

A coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene, falou do trabalho que o programa vem desenvolvendo no combate à violência sexual contra crianças e adolescentes, problema que atinge e preocupa a sociedade há muito tempo e que precisa ser combatido. “Atualmente existem mecanismos que podem impedir e prevenir a violência sexual, e esses são os nossos objetivos com o projeto”, declarou.

Izabela Jatene destacou ainda a importância dos professores como agentes de identificação da violência, já que eles podem ser fortes aliados das vítimas e contribuir com o trabalho do Pro Paz no combate à violência sexual. “Os professores na sala de aula estão cotidianamente observando as crianças e podem se tornar parceiros, identificando se a criança está mais tensa, se ela mudou de comportamento, se tem marcas pelo corpo ou deixou de falar. Além de identificar, ele deve encaminhar o caso para atendimento dentro rede”, reforçou.

O representante do Unicef em Belém, Fábio Atanásio, disse que está com grande expectativa em relação ao projeto, devido à área de atuação que o seminário abrange. “A expectativa com essa iniciativa é muito grande, porque o professor tem uma vocação natural para conseguir conversar com o aluno e descobrir se ele está sendo vítima de violência sexual”, afirmou.

A representante da Polícia Civil, Simone Machado, declarou que é de extrema importância esse trabalho com os professores, pois é na escola que muitas vítimas buscam ajuda. “Reparamos em nossos atendimentos que é grande o número de crianças que relata os abusos sofridos primeiramente na escola”, declarou.

Participaram do evento 150 professores de 48 escolas de Belém. O seminário abordou diversos temas relacionados à violência sexual, como direitos da criança e do adolescente, tipos de violência, sinais e sintomas. Para o professor da Escola Doutor Celso Malcher Antonio Amauri, a iniciativa é de grande importância. “Serviu para esclarecer o nosso papel e saber como tratar este tema da exploração sexual junto aos alunos”, afirmou.

(Agência Pará)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *