Saúde materna tem os piores resultados entre os objetivos para o milênio da ONU

O informe realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) indica que a crise financeira afetou fortemente o progresso de várias metas de desenvolvimento para o milênio. Apenas três dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), referentes à pobreza extrema, habitação e água, serão alcançados antes de 2015, o prazo fixado. A saúde materna é a meta que registrou menos progresso. Reduzir as mortes maternas e melhorar a saúde reprodutiva exige diferentes intervenções, incluindo assegurar transporte para os hospitais, oferecer profissionais capacitados e garantir um mínimo de quatro visitas ao médico como parte do cuidado pré-natal (recomendadas pela Organização Mundial da Saúde).

A Ásia oriental é a região com maiores progressos médios. A China registrou destaque no avanço na redução da pobreza, de 60% da população em 1990 para 13% em 2008. Mas, ao mesmo tempo, o aumento nas emissões de dióxido de carbono – de três bilhões de toneladas em 1990 para 8,3 bilhões de toneladas em 2009 – apontam para um modelo de desenvolvimento pouco sustentável.

O Norte da África (Saara ocidental, Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia e Egito) também apresentou bom desempenho. Registrou-se, por exemplo, uma queda na proporção da população urbana que vive em assentamentos precários, de 20% em 2000 para 13% em 2012. A África subsaariana apresentou uma melhora quanto à mortalidade materna, passando de 850 falecimentos por cem mil nascidos vivos em 1990 para 500, em 2010. Apesar disto, a região continua com a maior taxa de natalidade entre mães adolescentes (entre 15 e 19 anos).

Segundo o informe, a quantidade de pessoas que vive com menos de US$ 1,25 ao dia no mundo caiu de 47% da humanidade em 1990 para 24% em 2008. Se continuar nesse ritmo, aponta o texto, a taxa de pobreza extrema será menor que 16% no mundo, até 2015. A água é outro campo no qual houve resultados positivos. A soma de pessoas com acesso a este recurso equivalia a 76% da humanidade em 1990, enquanto em 2010 o índice subiu para 89%. Estimativas indicam que até 2015 a cobertura chegará a 92% da população, o que significa que a meta deverá ser alcançada.

Mais de mais de 25 agências da ONU e organizações internacionais subsidiaram o informe, que apresenta um panorama complexo, e às vezes contraditório. Cada um dos oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio tem diferentes metas. No total, são 21, verificadas por meio de 60 indicadores.

Fonte: Portal Andi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *