Unidades da Fasepa terão reforço policial

As duas unidades de semi-liberdade da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Estado do Pará (Fasepa) em Icoaraci, distrito de Belém, e na Cidade Nova, em Ananindeua, recebem a partir desta terça-feira, 22, reforço policial para ajudar na segurança dos servidores que trabalham nesses locais. A medida atende a uma reivindicação da categoria, que se reuniu nesta manhã, na capital, com a presidente da instituição, Ana Célia Cruz de Oliveira, para discutir propostas de melhorias salariais.

De acordo com a presidente, o reforço às unidades de semi-liberdade é uma complementação à medida adotada desde o ano passado, quando foi implantado policiamento nas unidades de internação. “Nós já articulamos com a Polícia Militar essa parceria, que deverá funcionar por meio de diversas estratégias, para garantir a segurança dos servidores, assim como a dos adolescentes que são atendidos”, afirmou.

Além do policiamento, a presidente garantiu para a categoria a disposição do Governo para aprovar a partir do segundo semestre deste ano o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneção (PCCR) dos servidores da Fasepa, bem como a reestruturação do órgão, que garantirá ainda mais a valorização dos funcionários. “A partir do PCCR, que deverá ser encaminhado para a Assembleia Legislativa no segundo semestre, teremos várias reivindicações dos funcionários atendidas, como a gratificação de alta complexidade e incorporação do abono do nível médio, entre outros ganhos”, disse Ana.

Segundo ela, em abril o governador Simão Jatene concedeu aumento integral sobre a inflação acumulada ano passado, correspondente a 5%, para todos os servidores efetivos, bem como a incorporação do abono para os servidores de nível superior e o reajuste do auxílio alimentação para R$ 200,00, no caso dos servidores que ganhavam menos que este valor. “É uma política que beneficia todo o funcionalismo público paraense e, logo, os servidores da Fasepa também. No caso do auxílio alimentação, não há a possibilidade de equiparação com os servidores da Seas, em virtude dessa diretriz do Estado, que congelou todos os auxílios alimentação acima de R$ 200,00”, explicou.

O monitor do Centro de Internação Jovem-Adulto Masculino de Ananindeua, José Moura, participou da reunião e ressaltou a importância de ter o espaço de negociação com o Governo do Estado e a direção da Fasepa. “O diálogo tem sido proveitoso. O que nós queremos é que os nossos anseios sejam atendidos, na medida do possível. Queremos a melhor estrutura para oferecer o melhor também”, ressaltou o servidor.

Fonte: Agência Pará de Notícias

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *