Polícia Civil promove ações de combate à exploração sexual infantil

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescente será lembrado em 18 de maio. Para marcar a data, a Polícia Civil do Pará está promovendo, entre 14 e 18, uma semana com atividades alusivas à data. Desde segunda-feira, 14,  estão sendo desenvolvidas ações integradas que envolvem a Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA), as Delegacias da Criança e do Adolescente (DCAs) e o Programa Pro Paz Integrado, por meio das quais são oferecidos atendimentos itinerantes de Assistência Social, registros de boletins de ocorrências e distribuição de material informativo. Os BO’s são feitos pela Delegacia Móvel, que nestas quarta, 16, e quinta-feira, 17, estará prestando atendimento ao público na orla da Praia do Cruzeiro, em Icoaraci, e na praça da Praia Grande, de Outeiro, das 8 às 12 horas.

Na manhã desta terça-feira (15), a unidade móvel da Polícia Civil esteve no bairro da Terra Firme, promovendo a sensibilização dos moradores para a importância de se denunciar todo tipo de violência e exploração sexual. “No tempo em que estamos aqui já recebemos quatro denúncias anônimas de abuso sexual contra menores. Todos os casos que chegarem serão devidamente encaminhados e investigados o mais rápido possível”, disse Magno Monteiro, chefe de operação Divisão de Atendimento ao Adolescente.

Além de registrar denúncias, a equipe da Delegacia Móvel, composta por assistente social, delegados, escrivães e investigadores, distribui materiais de prevenção como banners e folders nas escolas, igrejas e locais frequentados pela comunidade. “O nosso objetivo é fazer com que todos tenham a consciência de que a violência sexual é um crime. As nossas crianças e adolescentes precisam ser protegidos, e esta é uma missão de todos, por isso é importante denunciar”, enfatizou Monteiro.

Às pessoas que presenciarem casos de abuso ou exploração sexual, o chefe de operações da DATA orienta que procurem imediatamente uma delegacia de polícia ou uma delegacia especializada – DATA/Pro Paz Integrado, para receber registrar ocorrência e garantir à vítima o acolhimento psicossocial e as pericias médico-legais, além de dar inicio à apuração do crime. Há ainda outros órgãos de proteção que podem ser acionados, como o Conselho Tutelar e o Ministério Público. “Se a testemunha tiver receio de denunciar ou não quiser ser identificada, pode telefonar para o Disque-Denúncia 100, onde as informações serão averiguadas e seus dados serão mantidos em sigilo”, afirmou.

Programação – Ainda como parte da programação pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescente, no dia 18, os servidores que integram a DATA participarão de uma caminhada na capital. O evento será no bairro da Pedreira e contará com representantes dos comitês que congregam as secretarias de Estado, e também membros de organizações não-governamentais, como o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca), o Movimento República de Emáus e a Arquidiocese de Belém.

Fonte: Agência Pará de Notícias

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *