Audiência Pública discute índice de violência entre jovens no Pará

A Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará (CDHDC) e “Grupo de Monitoramento da Violência Letal contra Adolescentes e Jovens no Estado do Pará” apresentaram na segunda-feira (19), no auditório João Batista, um documento que analisa crimes letais ocorridos entre adolescentes e jovens na faixa etária entre
14 e 25 anos. O documento também expõe que no período de 2000 a 2010, o estado passou da 21º posição para o 3º lugar nacional na taxa de homicídio, segundo dados do relatório.

De acordo com o representante do Laboratório de Análise das Políticas Públicas de Segurança e Direitos Humanos (LADIS), o professor Jean-François Deluchey, um dos integrantes do grupo de monitoramento, o documento que tem como base a “Chacina de Icoraci” foi apenas um dos casos principais para que fossem realizadas pesquisas sobre os homicídios que vem acontecendo na
região. “O documento propõe em um curto prazo exigir justiça na veiculação dos casos da chacina de Icoraci e em outros casos também” disse o professor.

A audiência Pública requerida pelo deputado Edilson Moura (PT), reuniu grupos, associações, pastorais e famílias que cobram do poder público justiça para os casos de homicídios que vem ocorrendo no estado. O deputado Edilson afirmou que a audiência serviu para alertar as Instituições Públicas e todos os Órgãos de Defesa dos Direitos Humanos para o aumento da violência no estado. “Nós percebemos que os jovens são vítimas dessa
violência, mais do que cometerem o crime, na verdade eles estão sofrendo o crime, estão sendo assinados”, disse o deputado.

Participaram da audiência a ex-senadora Marinor Brito (PSOL-PA); o deputado Edmilson Rodrigues (PSOL); a representante da Ouvidoria do Sistema de Segurança Pública do Estado, Eliana Fonseca; o subcomandante do  10º Batalhão da Polícia Militar, o Capitão Mauro Martins; a assessora de Relações Interinstitucionais da Polícia Civil, Maria Waldenize Lobato Braga; o Superintendente  da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SEGUP), Sinélio Ferreira ;  a representante do Ministério Público do Estado (MPE), promotora  Mônica Moreira, dentre outras autoridades.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *