Crianças negras ainda são preteridas por famílias candidatas à adoção

Três anos após a criação do Cadastro Nacional de Adoção, as crianças negras ainda são preteridas por famílias que desejam adotar um filho. Das 26 mil famílias que aguardam na fila da adoção, mais de um terço aceita apenas crianças brancas. As crianças negras (pretas e pardas) são mais da metade das que estão aptas para serem adotadas. Apesar de campanhas promovidas por entidades e governos sobre a necessidade de ampliar o perfil da criança procurada, o supervisor da 1ª Vara da Infância e Juventude do Distrito Federal, Walter Gomes, diz que houve pouco avanço. Segundo ele, o principal argumento das famílias para rejeitar negros é a possibilidade de que eles venham a sofrer preconceito pela diferença da cor da pele. O tempo de espera por uma criança com o perfil clássico é em média de oito anos.

Fonte: Jornal do País

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *