Jovens e crianças são os mais afetados pelos desastres naturais, diz Secretário-Geral da ONU

No Dia Internacional para a Redução de Desastres, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta quinta-feira (13) que “a vulnerabilidade ao desastre está crescendo mais rápido do que a resiliência.” Ele também apontou jovens e crianças como as principais afetadas pelas tragédias ambientais. Segundo estimativas da Estratégia Internacional das Nações Unidas para a Redução de Desastres (UNISDR), 100 milhões de jovens e crianças sofrem todos os anos consequências diretas e centenas morrem ou ficam feridos.

Ban lembrou de práticas que podem servir como exemplo. No Nepal, os alunos aprendem as noções básicas de proteção em casas e em edifícios. Mais de 600 jovens da África, Ásia e América Latina elaboraram uma Carta da Criança para reduzir os riscos de desastre. “A redução do risco de desastre deveria ser uma preocupação diária para todos. Vamos todos investir hoje para um futuro mais seguro”, afirmou o Secretário-Geral.

Para marcar a data, a UNISDR e seus parceiros convidaram jovens e crianças para a campanha ‘Reforce a Redução do Risco de Desastres’. “Jovens informados e bem treinados são importantes atores na gestão de desastres e têm um olho afiado para onde o risco pode ser reduzido na comunidade”, analisou a Secretária-Geral para a Redução do Risco de Desastres e diretora da UNISDR, Margareta Wahlström.

De acordo com a edição deste ano do Relatório Global de Avaliação da UNISDR, mais da metade dos moradores das grandes cidades estão localizadas em áreas de alto risco de atividade sísmica. A proporção da população que vive em bacias hidrográficas sujeitas a inundações aumentou 114% nos últimos 30 anos. Além disso, houve um crescimento de 192% das populações de litoral expostas a ciclones.

Com informações do site das Nações Unidas no Brasil

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *