Tráfico de pessoas movimenta US$ 34 bi por ano

Cifras são alcançadas mediante prostituição, adoção ilegal de crianças, escravidão, trabalho forçado e remoção de órgãos, aponta procuradora

O tráfico internacional de seres humanos movimenta US$ 34 bilhões anualmente e só perde para o de drogas e o de armas. As cifras dão uma ideia da dimensão do crime, cada vez mais organizado e difícil de ser combatido, na opinião da procuradora do Trabalho Daniele Corrêa. Ela foi uma das participantes da audiência pública realizada pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) para marcar o Dia Internacional Contra a Exploração Sexual e o Tráfico de Mulheres e Crianças.

A prostituição não é o único fator motivador do crime. A adoção ilegal de crianças, a escravidão, o trabalho forçado e até a remoção de órgãos para transplantes também foram abordados por senadores e convidados ao debate.

Para combater o problema, a procuradora do Trabalho reivindicou mudança urgente no Código Penal, cujo artigo 231 trata apenas do tráfico de pessoas para fins de exploração sexual. “Tal artigo tem que ser mais amplo, envolvendo outras finalidades, além da exploração sexual; daí a importância da atuação do Legislativo”, defendeu.

Mulheres

As mulheres são a maioria das vítimas, o que pode ser explicado por razões históricas e culturais, de acordo com Lídice da Mata (PSB-BA). “Historicamente a mulher sempre foi vista como pertence de alguém. Primeiro do pai; depois do marido”, afirmou.

A Espanha é o país onde as brasileiras se encontram em pior situação. Segundo a chefe da Divisão de Assistência Consular do Itamaraty, Luiza Lopes, os traficantes fazem com que as vítimas circulem de cidade em cidade, não ficando mais do que 15 dias em cada uma.

“Isso as impede de conhecer pessoas, fazer relacionamentos, criar vínculos sociais e ainda dificulta o acesso a informações”, explicou.

Fonte: Jornal do Senado

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *