Publicado em

Adolescente recebe atendimento do Pro Paz

A adolescente de 14 anos que teria passado a noite nas dependências da Colônia Agrícola Heleno Fragoso, em Santa Izabel, nordeste do Estado, onde ficam os presos do regime semi-aberto, vem recebendo desde a segunda-feira, 19, atendimento médico e psicológico do Pro Paz Integrado, programa de assistência e proteção social do Governo do Estado, que funciona na Santa Casa de Misericórdia, em Belém. Os pais da menina também estão sendo assistidos por psicólogos.

A coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene, que acompanha o caso de perto, conta que a adolescente, depois de ter passado por avaliação do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, foi acolhida por assistentes sociais e por uma delegada da Polícia Civil, que emitiu o Boletim de Ocorrência do caso. “Este foi o primeiro procedimento ao qual a menina foi submetida. A partir de agora ela será atendida por médicos ginecologistas, que farão exames de gravidez e HIV”, garantiu.

Além dos médicos, psicólogos do Pro Paz farão o atendimento psicossocial da menina, que segundo Izabela também deverá passar por uma série de consultas ao longo das próximas semanas, conforme a sua necessidade, a fim de restabelecer o seu equilíbrio emocional. “A ideia é resgatar a identidade dessa adolescente, fazendo-a perceber que precisa retomar o seu equilíbrio emocional e que é um ser humano quem tem direitos”.

Após o tratamento com médicos e psicológos da Santa Casa, Izabela Jatene garantiu que a adolescente será inserida nos projetos de cidadania do Pro Paz, dos quais participará no horário em que não estiver na escola. A adolescente terá acesso à cultura, esporte, lazer e poderá conviver com outro jovens. Segundo a coordenadora, com o acesso aos programas de cidadania do Pro Paz, ela terá a garantia de seus diretos assegurada.

Thiago Melo – Secom

Fonte: Agência Pará de Notícias

2 comentários sobre “Adolescente recebe atendimento do Pro Paz

  1. O Estado tem que se responsabilizar em não somente tratar dess jovem, mas reintegrá-la a sociedade, de repente ela nem sequer tem família, e ninguém que a proteja, ela precisa de amor e carinho e esse é um dever de cada um de nós.
    Onde estão os direitos humanos? Não queremos filosofia, queremos justiça e eficiência no serviço prestado por aquela SUSIPE.

  2. Caros parceiros e amigos da Radio Margarida é com muita dor que recebo esta notícia de Belém. Estou em Porto Alegre como vocês sabem e toda vez que ligo a TV me deparo com essa realidade cruel das crianças e adolescentes do nosso Estado.É lamentável que mais uma vez as providências sejam tomadas sempre depois da tragégia anunciada. A sociedade precisa se organizar para enfrentar esse problema !Mas fico feliz de saber que vocês estão ai na luta !! Um grande e forte abraço !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *