Publicado em

Professor-leitor: por uma educação que encanta por meio das palavras

Voltada para todo amante da leitura a XI Feira Pan-Amazônica do Livro trouxe a oficina, Professor-leitor: por uma educação que encanta por meio das palavras. Ministrada pela pedagoga e contadora de histórias Ana Selma Cunha, o encontro reuniu principalmente profissionais da educação infanto-juvenil que queiram descobrir o encantamento da leitura para melhor trabalhar em sala de aula e completar a formação profissional de cada educador.

“Quando o contador de histórias se prepara, ele busca no mundo mágico de fadas, bruxas, dragões e príncipes um elo com esse mundo, e leva quem está ouvindo a visualizar essa fada, a construir esse castelo e viver essa outra realidade “, diz Ana Selma. Para ela o contador de história é a voz e o corpo das histórias, é a pessoa que dá vida de diferentes formas, a personagens dos contos e lendas, o que favorece o aprendizado de crianças e adultos. “Quem conta histórias lida com a memória e o esquecimento, há momentos em que podemos esquecer algo, mas, os elementos de contadora e vivência me permitem construir junto com a história”, explica.

Infelizmente com a velocidade da internet e os altos preços, o livro ainda é distante de crianças e adolescentes, mas quando a família incentiva nos primeiros anos de vida que o livro é um objeto próximo e que podem brincar com ele, desperta desde cedo o interesse a leitura. “Histórias são magias, é acreditar que você pode ultrapassar barreiras do tempo por meio do livro, e a criança está aberta para isso, depende da qualidade que o adulto lhe oferece”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *