Hospitais são convocados para reforçar atendimento a gestantes

Os dirigentes de todos os hospitais da Região Metropolitana de Belém que mantêm atendimento a parturientes serão convidados para uma reunião com o secretário de Estado de Saúde, Hélio Franco, para discutir a resolução de problemas que têm provocado a superlotação da unidade neonatal do Hospital da Santa Casa. A dificuldade é maior nos finais de semana, quando alguns hospitais conveniados ao SUS reduzem o atendimento ou deixam de receber parturientes – inclusive em situações de gravidez de risco – e essa demanda é toda dirigida para a maternidade mais antiga do Pará. O encontro está marcado para a próxima segunda-feira, 29, na sede da Secretaria de Saúde do Estado.

O secretário se reuniu no final da manhã com os funcionários da Santa Casa para apresentar a comissão formada por quatro médicas, coordenada por Eunice Begot, que vai responder pela gestão da Fundação Santa Casa de Misericórdia interinamente.

Integrada ainda por Ângela Monteiro, Vânia Cecília e Neila Dahas, a equipe foi nomeada por decreto do governador Simão Jatene, em substituição à ex-presidente da instituição, Maria do Carmo Lobato, afastada após a morte dos bebês gêmeos por falta de atendimento.

“Vamos deixar uma verdade bem clara”, avisou Hélio Franco, ao receber a imprensa logo após a conversa com os funcionários. “O fato de a Santa Casa estar com a capacidade de atendimento neonatal esgotada, por conta dessa lacuna deixada por hospitais conveniados, não apaga o erro cometido na madrugada de terça-feira, quando se recusou atendimento a uma paciente em trabalho de parto, que é uma situação de emergência”, registrou.

Transparência

Tanto o secretário quanto a coordenadora da equipe que vai dirigir a Santa Casa, Eunice Begot, lamentaram a morte dos bebês prematuros, garantiram o atendimento pleno à mãe das crianças natimortas, Vanessa do Socorro Santos, que permanece internada na Santa Casa de Misericórdia e falou livremente com a imprensa. Eles também se comprometeram a impedir que situações semelhantes se repitam naquele hospital. “O governador foi categórico na orientação dada para toda a área de Saúde do Estado: nossa prioridade é a vida. Não se pode perder vidas por conta de protocolos”, sublinhou Hélio Franco.

Na manhã desta quarta-feira, 24, o atendimento foi normal nas unidades de obstetrícia, neonatologia, clínica médica, clínica cirúrgica e pediatria e também nos sete ambulatórios especializados. A rotina foi quebrada pela presença de repórteres, que tiveram acesso a todas as alas do hospital para verificar as condições de trabalho e conversar com pacientes.

Os jornalistas verificaram, por exemplo, que a capacidade da unidade neonatal, que é de 107 bebês, prestava assistência, naquele momento, a 15 crianças a mais do que o seu limite. Ainda assim, o atendimento não foi comprometido. Um exemplo recente de como a Santa Casa fica assoberbada de pacientes além dos limites de sua capacidade ocorreu na época do Carnaval deste ano. Como os hospitais conveniados ao SUS reduziram seu atendimento naquele período, a Santa Casa recebeu nada menos que 427 pacientes em três dias de feriado, sem recusar nenhum. Graças a essa dedicação, houve um recorde de partos no carnaval: 93 mães deram à luz em quatro dias, quase o dobro da média.

Perícia

O governo do Estado do Pará informa que o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves realizou perícia no corpo dos bebês gêmeos filhos da manicure Vanessa do Socorro Santos e que nasceram de parto prematuro na manhã da última terça-feira, 23. Realizada no início da tarde de ontem (23), a análise constatou óbito intrauterino de pelo menos 48 horas antes do nascimento das crianças. Ainda segundo o Centro, o resultado final do laudo deverá sair nesta sexta-feira (26) e será encaminhado à delegacia responsável pelo caso.

O governo do Estado reitera, no entanto, que o laudo não encerra as investigações de responsabilidades no caso da quebra de protocolo no atendimento prestado à gestante na Santa Casa de Misericórdia do Pará, que continuará sendo conduzida por uma equipe designada pela Secretaria de Saúde Pública do Estado, por determinação expressa do governador Simão Jatene.

Fonte: Agência Pará

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *