Coordenadoras do Projeto Radionovelas Educativas se reúnem com Conselheiras Tutelares

Para explicar a importância das Rodadas de Diálogos para o fortalecimento da Rede de Atendimento da Criança e do Adolescente, a Rádio Margarida está organizando reuniões em Conselhos Tutelares e instituições que atuam na área da infância e adolescência. No dia nove de março, coordenadoras do projeto se reuniram com representantes dos Conselhos Tutelares de Belém e Ananindeua e explicaram sobre o processo de capacitação.

Elaine Corrêa explica o processo de capacitação

Além das conselheiras tutelares, a pedagoga do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Ananindeua, Madalena Esperança, também esteve presente na reunião. Após explicar sobre as rodadas, a coordenadora do projeto de Radionovelas Educativas, Elaine Corrêa, ressaltou a importância da participação de instituições tanto de Belém como de Ananindeua e Marituba para aprimorar a rede de Atendimento da Criança e do Adolescente. “A capacitação não é apenas para conversar sobre as violações de direitos, ela é um momento de articulação, de propor idéias, ações. É o momento dos órgãos se conhecerem, para fortalecermos a rede”, explica a coordenadora.

Conselheiras Tutelares recebem informações sobre as rodadas

Por isso, para aprimorar essa Rede de Atendimento, além dos Conselhos Tutelares, participarão da capacitação membros da área da saúde, educação, justiça, assistência social, juizado e defensoria, além de representantes do Ministério Público, delegacias e organizações da sociedade civil.

O encontro foi também uma ótima oportunidade para os participantes conhecerem um pouco mais sobre a Rádio Margarida e os materiais desenvolvidos por ela. Muitos que já acompanhavam os projetos elogiaram os Kits contendo as radionovelas educativas. “O diferencial das radionovelas é que elas abordam temas sérios, mas que conseguem prender a atenção das crianças e adolescentes. Muitos se identificam com os assuntos tratados, pois são problemas que acontecem em suas vidas”, conta a Conselheira Tutelar de Ananindeua, Célia Amaral.

Pedagoga do CRAS participou da reunião para conhecer os projetos desenvolvidos pela ONG

Any Katileya, Conselheira Tutelar de Ananindeua, acredita que a capacitação proporcionará um ótimo aprendizado. “Após a capacitação, vou ter a consciência de que estou fazendo a coisa certa no meu dia a dia. Também poderei conhecer outros órgãos, o que me dará maior acesso a essa rede de proteção”, explica.

Irna Cley, Conselheira Tutelar de Belém, também está ansiosa para a capacitação. “As aulas nos permitirão a troca de experiências, será um grande aprendizado”, finaliza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *