Como Trabalhamos

MÉTODO DE EDUCAÇÃO POPULAR

Desde 1994, a ONG Rádio Margarida criou uma técnica própria de trabalho, criada em parceria com a Universidade Federal do Pará e coordenada pelo Prof. Dr. Osmar Pancera. A prática, que vem sendo adotada ao longo de todos os projetos em que atua, é o MÉTODO DE EDUCAÇÃO POPULAR, que utiliza as linguagens artísticas (teatro, teatro de bonecos, palhaço, brincadeiras, música) e os meios de comunicação social (radiodifusão e vídeo popular) para sensibilizar e educar crianças, adolescentes e adultos.

 

As linguagens artísticas e os meios da comunicação social são mediadores e proporcionam aproximações dentro do processo de criação e produção artístico-cultural da ONG, ao tratar de temas e conteúdos de interesse coletivo, como: saúde, educação, arte, cultura, direitos humanos, meio ambiente, violência, dentre outros.

O objetivo da utilização deste método é o de reafirmar a arte como socialização da cultura para transformação social, com base na mediação de 3 categorias: COMUNICAÇÃO, SENTIMENTO E AÇÃO TRANSFORMADORA, que se materializam e podem ser mensuradas e validadas com base na produção artística e cultural de textos teatrais, músicas, brincadeiras, vídeos, jornais, programas de rádio e outros processos pedagógicos e produtos educativos, desencadeados em eventos, campanhas e projetos.

A COMUNICAÇÃO

A comunicação por nós é compreendida como mediadora de construção de conhecimento e experiências de vida e vai além da troca de informação entre sujeitos, sem negar a importância da troca. Oportuniza relações sucessivas e aproximações de saberes e entendimentos entre sujeitos e protagonistas. A comunicação não se configura em um monólogo em que existe um transmissor e outro receptor, mas em pessoas e cidadãos que dialogam suas experiências e percepções acerca de realidades vivenciadas. A Comunicação que numa perspectiva libertadora a serviço da transformação social encurta os caminhos do entendimento e compreensão, desmistifica, possibilita a vez e voz do oprimido, estabelece as mediações necessárias pela imagem, áudio, palavra escrita e falada.

O SENTIMENTO

No aspecto sentimento se desenvolvem as maneiras de levar e trazer a informação para dentro de cada um de nós, a sensibilização, a emoção que os meios facilitadores transmitem; as mediações para mexer nas posições, o lúdico, que não é um fim em si mesmo, mas deve conduzir à ação. Dentro de uma perspectiva humanista e dialógica, esse sentimento não pode ser ignorado e nem escondido, pois é inerente ao ser, ao homem no mundo e à composição da essência humana. Sentimento que pode ser relacionado às mais diversas formas de expressão da criatividade e da manifestação do mais íntimo e puro da existência humana. Sentimento que está presente em diversas formas de comunicação e educação popular que lida com gente e pessoas que podem ser elevadas à condição de cidadãos, homens livres, que dialogam entre si e com o mundo.

A AÇÃO TRANSFORMADORA

Ação que é uma palavra com poucas derivações em vários idiomas, com o nome básico de “ação, ato”, que, se não puder ser realizada de uma só vez, é partilhada em atos, com união, organização de pessoas, grupos e movimentos sociais. Como categoria, “a ação corresponde a uma tomada de decisão, manifesta a mediação da vontade, obtida por meio do pensado e do refletido com base nas experiências anteriores, permeada pelos sentimentos, a fim de colocar a ética e moral em movimento, ou seja, a posição política na prática, que é uma ação transformadora” (PANCERA, 2002, p. 73). A ação transformadora que segue a mesma linha condutora da dialogicidade e da teoria da ação dialógica de Paulo Freire (1979).

*O Método de Educação Popular pode ser conhecido pela leitura da tese de doutorado do fundador da ONG, Osmar Pancera, disponível aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *