Em Belém, ato lembra jovens mortos em chacina

ATONa próxima sexta-feira, 05, quando completa um ano e três meses da chacina que deixou 11 mortos, na maioria jovens, em seis bairros de Belém, o coletivo Tela Firme organiza um ato lúdico político com as famílias das vítimas, em frente ao prédio do Ministério Público do Pará, a partir das 09 horas. O objetivo do ato é cobrar justiça e chamar a atenção para o extermínio da juventude.

Entre a noite e a madrugada dos dias 4 e 5 de novembro de 2014, dez jovens foram mortos nos bairros da Terra Firme, Marco, Guamá, Jurunas, Sideral e Tapanã. De acordo com a polícia, todos os assassinatos têm características de execução. Os crimes teriam começado logo após a morte do cabo da Polícia Militar Antônio Figueiredo, também executado a tiros no bairro do Guamá.

Uma CPI criada para investigar os crimes concluiu que integrantes da Segurança Pública participam de grupos de extermínio no Pará. Até agora, a polícia prendeu sete pessoas, quatro acusadas de participar da chacina, e as demais teriam envolvimento na morte do cabo da Polícia Militar, mas o inquérito ainda não foi concluído e tudo corre em sigilo. A Promotoria de Justiça Militar indiciou 14 PMs. A corporação abriu investigação contra nove policiais. Os processos também não foram concluídos.

O coletivo Tela Firme é um projeto audiovisual desenvolvido no bairro da Terra Firme. O coletivo é formado principalmente por jovens e busca refletir as questões sociais da Terra Firme, periferia de Belém.

Rádio Margarida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *